Para se obter um bom concentrado de tomate, é necessário que o produto colhido tenha uma coloração vermelha bastante acentuada, quer na polpa quer no exterior

O concentrado produzido com base em matéria-prima nacional, é muito valorizado internacionalmente pela qualidade, o que tem trazido a esta indústria uma vantagem concorrencial nos mercados internacionais.

Existe por isso uma preocupação crescente com a cultura do tomate, dado que, a qualidade do concentrado pode ser afetada pela “falta de cor” deste fruto quando se verifica uma redução da área foliar da planta, resultando numa menor produção de fotoassimilados.

Esta destruição de área foliar, deve-se essencialmente:

  • à natural senescência das plantas (principalmente no final da campanha);
  • a constrangimentos técnicos relacionados com múltiplos fatores, entre os quais a dificuldade de combater pragas com elevada incidência como, mosca branca, ácaros ou traça do tomateiro que contribuem para esta desfoliação.
Sabia que?
> A traça do tomateiro é a praga chave da cultura do tomate;
> Pode provocar prejuízos na ordem dos 100 %;
> A mosca branca, nas últimas 2 campanhas, tem apresentado estatuto de praga, o que não era padrão habitual.

Como ultrapassar esta situação e criar um produto final de melhor qualidade?

Com objetivos de promoção de melhorias no setor agrícola nacional, no quadro da Parceria Europeia para a Inovação (PEI) para a produtividade e sustentabilidade agrícola, foram criados alguns Grupos Operacionais (GO) multidisciplinares.

Estes GO são:

  • parcerias constituídas por entidades de natureza pública ou privada que se propõem desenvolver um plano de ação visando a inovação no setor agrícola;
  • que em cooperação, desenvolvem esforços para realizar projetos de inovação que respondam a problemas concretos ou oportunidades que se coloquem à produção e;
  • contribuam para atingir os objetivos e prioridades do Desenvolvimento Rural, nas áreas temáticas consideradas prioritárias pelo setor tendo em vista a produtividade e sustentabilidade agrícolas.

Neste contexto, foi criado o Grupo Operacional “Qualitomate”, tendo como objetivos principais:

  • garantir a qualidade do produto final em tomate horto-industrial;
  • desenvolver um novo produto de tomate fresco com elevado nível de cor, superior a 2,5 (Escala de Cor), através de:
    • adequada seleção de variedades;
    • melhoria das práticas culturais ao nível da fertilização e dos tratamentos fitossanitários;
    • aplicação de estratégias de proteção, com técnicas conjuntas de avaliação do risco e ferramentas de decisão expeditas;
  • apoiar a diminuição dos encargos dos produtores (com tratamentos fitossanitários para combater pragas e doenças), e consequente diminuição do impacto nos ecossistemas gerando aumento da biodiversidade;
  • apoiar a manutenção da credibilidade do tomate processado de origem portuguesa, nos mercados internacionais.

Para apoiar o desenvolvimento e concretização destes objetivos, é vital a importância da cooperação entre os diversos sectores, quer da investigação, da produção e da indústria, fazendo parte deste Grupo Operacional, os seguintes parceiros:

CCTI – Associação para a Investigação,
Desenvolvimento e Inovação no Setor (Líder)
Instituto Superior de Agronomia
Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional
FNOP – Fed. Nac. das Organ. de Produtores de Frutos e Hort.
TOMATAZA – Organ. de Produtores de Hortofrutícolas, S.A.
Instituto Politécnico de Santarém
Sociedade Agro-Pecuária do Vale da Adega S.A.
RELCAMPO, Unipessoal Lda
ITALAGRO – Ind. de Transformação de Prod. Alimentares, S.A.
Fruto Maior, Organização de Produtores Hortofrutícolas Lda
Sociedade Agrícola Ortigão Costa, Lda
Sabia que?
O resultado do trabalho desta equipa multidisciplinar, que se irá prolongar até 2021, terá como potenciais beneficiários todos os produtores de tomate, quer das entidades parceiras ou das diversas Organizações de Produtores, bem como, as indústrias de transformação.

Apoie iniciativas que promovam melhores práticas na agricultura nacional! Esteja atento(a) às novidades sobre esta temática, seguindo o blog deste GO em qualitomate.pt